Simmons Sleep & Care

Afinal, comer chocolate atrapalha o sono?

Depende do tipo e da quantidade. Especialista dá dicas para ter uma boa noite de sono sem abrir mão dessa tão amada sobremesa

Escrito por Simmons

04 JUL 2019 - 17H28 (Atualizada em 24 NOV 2020 - 13H09)

Chocolate_Blog_Foto

É difícil encontrar alguém que não goste de chocolate. Esse célebre e tradicional alimento movimenta bilhões de dólares e satisfaz bilhões de pessoas. Não é à toa que uma das nossas festas mais populares, a Páscoa, gire em seu entorno. Ele cai bem a qualquer hora do dia, não é mesmo?

Esse é um assunto polêmico. Até pouco tempo atrás, havia o entendimento de que devíamos evitá-lo à noite, antes de dormir. Isso se dá em razão de sua composição, pois alguns elementos que carrega, como o açúcar e a cafeína, têm o potencial de nos manter acordados e prejudicar o nosso sono.

“Em outras palavras, uma barra de chocolate amargo, por exemplo – que contém mais cafeína que a de chocolate ao leite -, pode levar você a contar carneirinhos”, diz reportagem do New York Times de 2009, que fala também em evitar chás e refrigerantes.

Desde então, no entanto, diversos estudos colocaram essa tese em dúvida. Em outras palavras, aos poucos o chocolate tem deixado de ser um vilão do nosso sono e, inclusive, alçado a agente de bons sonhos.

Novas teses

Em 2013, por exemplo, o jornal O Globo, citando o Hospital do Coração (HCor), foi categórico: o chocolate não contém cafeína o suficiente para te manter acordado.

Em 2016, jornais britânicos repercutiram estudo das universidades de Cambridge e Edinburgh, segundo o qual o magnésio, mineral presente no chocolate, contribui para regular nosso ciclo de sono.

E, em 2017, pesquisa da Universidade de L’Aquila, na Itália, ainda descobriu que os flavonoides, substâncias que também estão no chocolate – principalmente nos do tipo amargo - reduzem os efeitos da insônia e melhoram a saúde do cérebro.

Interessante! Afinal, quem está certo?

Uma dica: moderação

Primeiramente, é necessário ressaltar que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), devemos evitar o consumo de doces em excesso. Mas ninguém é de ferro e evitar não significa proibir. Tente apenas não ultrapassar uma média de 30 gramas diárias.

Quanto à relação entre chocolate e sono, a nutricionista e sanitarista Patricia Nehme, vinculada à Associação Brasileira do Sono, admite que não há um consenso sobre o assunto.

“Uma resposta que a ciência já tem diz respeito ao consumo de açúcar simples em excesso antes de dormir. Devemos evitar, pois fornece energia rapidamente e faz com que muita insulina seja liberada. Como consequência, nosso cérebro fica "ligado’”, afirma.

Escolha com sabedoria

Portanto, o consumo de chocolate está liberado, mas sempre com moderação! Especialmente à noite, opte por aqueles com mais cacau e menos açúcar. Um exemplo: prefira o chocolate amargo ao chocolate branco.

“O chocolate branco contém manteiga de cacau, leite e açúcar em quantidade elevadas. E não tem substancias benéficas como os flavonoides que podemos encontrar em outros chocolates, como os do tipo amargo”, diz Patricia.

Gostou dessa dica? Então não deixe de ler sobre a relação entre uma dieta equilibrada e uma boa noite de sono.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Simmons, em Simmons Sleep & Care

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.